Perrengues de viagem: o dia em que subi a serra de Petrópolis pela Estrada Velha da Estrela

Perrengues de Viagem - Estrada Velha da Estrela - Petrópolis-RJ
Foto: Google

Hoje começo uma nova categoria de assunto aqui no blog, “Perrengues de Viagem”. Pra quem não sabe, perrengue no nosso dicionário informal significa uma situação de dificuldade, aperto, sufoco, então, esse tema será para falar dos problemas que já passei durante as minhas viagens. A primeira história da lista tem relação com a Estrada Velha da Estrela, uma estrada que eu sequer sabia que existia.

Antes de falar do “perrengue”, vou explicar sobre esta Estrada Velha da Estrela, uma estrada super antiga, construída em 1840 com a função de facilitar o acesso da Família Imperial até o alto da serra de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro. A estrada é super sinuosa, em paralelepípedo, e se estende por doze quilômetros.

O caminho revela belas paisagens e pouca gente conhece. O trajeto começa em Raiz da Serra e percorre a Serra da Estrela até Petrópolis, fazendo parte da Estrada Real. Ate aí tudo bem, uma estrada histórica que revela belas paisagens e faz parte da Estrada Real. Apesar do potencial turístico, o local atualmente é alvo de construções irregulares e favelização, chegando a ocupar a histórica estrada de ferro Príncipe do Grão-Pará, a primeira ferrovia do Brasil.

Perrengues de Viagem - Estrada Velha da Estrela - Petrópolis-RJ
Trecho próximo ao início da Estrada Velha da Estrela. Foto: Google
Perrengues de Viagem - Estrada Velha da Estrela - Petrópolis-RJ
Trecho próximo ao início da Estrada Velha da Estrela. Foto: Google

Perrengue pela Estrada Velha da Estrela

Bom, eu estava fazendo um tour por Arraial do Cabo e Búzios com a Kaká e um casal de amigos, esta amiga estava grávida na época da viagem. Na volta, programei meu GPS e estudei o caminho, para saber se o GPS não iria me jogar em alguma furada. Mas meus estudos não foram muito produtivos e o danado do GPS me jogou em uma furada. Para evitar a Ponte Rio Niterói, eu passo por Magé e saio na BR-040, que leva até BH.

Mas o meu GPS “achou por bem” encurtar o caminho e me indicou subir a serra pela Estrada Velha da Estrela, que em termos de distância realmente é mais perto. Ah, eu esqueci de mencionar, eu viajava à noite. Então, eu subi a serra por doze quilômetros por uma estrada de paralelepípedos super sinuosa, durante à noite e com uma mulher grávida no carro, que quase infartou de tanto susto.

O susto ficou por conta do que passamos durante a subida, vimos diversas pessoas durante o percurso usando drogas, bebendo e super mal encarados, tipo eles estavam se perguntando “o que esse maluco tá fazendo subindo a serra a uma hora dessas”. Durante os doze quilômetros de serra (pareciam cem quilômetros), não passamos por nenhum carro, nenhum mesmo, o que aumentou a nossa preocupação.

Perrengues de Viagem - Estrada Velha da Estrela - Petrópolis-RJ
Foto: Google

Alguns metros antes de começar a subida, parei em um posto pra abastecer e pedi informações pro frentista, ele disse que era só seguir pelo caminho em que eu estava que chegaria à serra, mas não informou que este seria um caminho alternativo e super perigoso. Bom, não nos aconteceu nada pra eu falar que é perigoso, mas o lugar não inspira segurança nenhuma, pelo contrário, é assustador à noite.

Tá, mas por que eu continuei subindo, sendo que vi que a estrada começou com paralelepípedos? Eu pensei que fosse apenas um pequeno trecho, que logo iria sair na BR-040, o caminho que estava no planejamento. Até para fazer retorno e voltar estava um pouco complicado, já que a estrada é pequena, sinuosa e estava escuro.

Quando subi e passei pelo primeiro grupo de pessoas, fiquei assustado e acelerei para sair dali logo. Não pensei em voltar pois teria que passar pelo mesmo local e iriam ver que eu estava perdido. Parar para perguntar JAMAIS! Quando continuei subindo e fui passando por mais grupos de pessoas estranhas, não sabia o que fazer, continuei subindo (e rezando).

Perrengues de Viagem - Estrada Velha da Estrela - Petrópolis-RJ
Estrada Velha da Estrela. Foto: Google

Depois de todo o tormento, preocupação, e da minha amiga quase parir no caminho, a estrada terminou no interior da cidade de Petrópolis, onde procurei um posto em uma área mais movimentada. Acho que o carro ficou 50 quilos mais leve depois que parei neste posto. Enfim, consegui chegar até a BR-040 e seguir viagem até a minha cidade, sem outros sustos.

Hoje eu lembro da história e dou algumas gargalhadas, pela situação que vivemos. Se eu tivesse tirado fotos de todos naquele momento, seria engraçado a cara de preocupação estampada em cada um, com aquele ar de “o que vai acontecer”. Abaixo, coloco o mapa com o percurso desta Estrada Velha da Estrela, para você ficar por dentro. Durante o dia eu não sei se é uma boa passar por ela, depois dessa aventura eu prefiro evitar. Todas as fotos foram retiradas do Google Street View.

E você, tem algum perrengue de viagem pra contar pra gente? Deixe a sua história nos comentários deste post, ou se for longa demais, mande pra mim por e-mail, quem sabe publico ela aqui no blog (caso você queira).

André Morato
Nasci em Divinópolis, interior de Minas Gerais, onde moro atualmente. Sou solteiro, colunista, blogueiro, viajante, designer gráfico, agente de turismo... (Oferecimento: Bombril. 1001 utilidades!). Apaixonado por viagens e por fotografia. Viajei para vários lugares no Brasil e no mundo mas confesso, tem muita coisa que ainda quero conhecer. Criador e editor deste blog. Saiba mais...

Comente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.