Subindo até o Pico do Itacolomi, Ouro Preto – MG

O percurso de ida e volta tem cerca de 14km e o pico possibilita uma linda vista para Ouro Preto e cidades vizinhas

Bem próximo à Ouro Preto e a MG-262 está o Parque Estadual do Itacolomi, parque que tem como principal atrativo o Pico do Itacolomi, uma pedra de 1.700 metros de altura, acompanhada de outra menor, que pode ser vista do Centro de Ouro Preto. O local pertence ao Circuito Estrada Real.

Marco da Estrada Real no Pico do Itacolomi
Marco da Estrada Real no Pico do Itacolomi

Parque Estadual do Itacolomi

Criado em 1967 e com mais de 7500 hectares de belas paisagens, o Parque Estadual do Itacolomi tem vários outros atrativos, e possui área de camping para aqueles que desejam passar uma noite ou até um fim de semana no parque. O acesso ao parque é feito pela BR-356 entre Ouro Preto e Mariana. Há placas sinalizando a entrada. O parque funciona de 8h às 17h de terça à domingo.

Como chegar

O acesso ao Parque Estadual do Itacolomi fica entre os municípios de Ouro Preto e Mariana, seguindo pela BR-356 até o entroncamento com a MG-262.

Centro de Visitantes / Casa Bandeirista

No Centro de Visitantes você encontrará várias informações sobre o Parque, espalhadas pelos vários painéis que o lugar possui. De lá saem os guias que acompanharão os turistas/aventureiros no trajeto desejado.

parque_nacional_itacolomi_ouro_preto (21)

Bem próximo do Centro de Visitantes e no caminho para a subida no Pico está a Casa Bandeirista, um monumento histórico construído entre 1706 e 1708 e considerado o primeiro prédio público de Minas Gerais, já que servia para cobrança de impostos. Algumas partes internas da casa foram preservadas com a engenharia original, podendo ser conferida pelos visitantes.

Casa Bandeirista
Casa Bandeirista

Subindo até o Pico do Itacolomi

Para subir até o Pico do Itacolomi, o mais recomendado é entrar em contato com a assessoria do parque com antecedência, para saber das condições e sobre guias para acompanhar no trajeto. Algumas pessoas optam por subir o Pico sem o acompanhamento de um guia, o que eu não recomendo. São 7Km pra subir + 7Km para voltar pelo mesmo trajeto com trilhas poucos sinalizadas.

Não percorra as trilhas sem o guia
Não percorra as trilhas sem o guia
Trilha para o Pico do Itacolomi
Trilha para o Pico do Itacolomi

Ao passar pela guarita do parque, você percorrerá 5km até chegar ao Centro de Visitantes. Se você estiver de carro ótimo, a estrada é boa e qualquer carro pode ir até lá.Mas se você não estiver de carro, uma opção é chegar antes de 8h e tentar pegar uma carona com os guias, caso contrário terá que percorrer estes 5km a pé.

Ao lado da Casa Bandeirista há um local com banheiro e bebedouro. Não se esqueça de passar protetor solar e levar uma garrafinha de água pois são 14km de caminhada (ida e volta) e alguns trechos são bem íngrimes.

Logo no começa da trilha após a Casa Bandeirista está a Lagoa da Capela, que é boa para banho (desde que tenha o Salva Vidas no parque) e recebe este nome por ficar bem próxima à Capela de São José. Muitas pessoas utilizam a Lagoa para banho após retornarem do Pico do Itacolomi.

Lagoa da Capela
Lagoa da Capela

Ao longo da trilha, você verá algumas placas indicando a distância percorrida, do Centro de Visitantes até o Pico do Itacolomi. No caminho, trechos de mata atlântica e campos rupestres são encontrados, além de mirantes naturais. Aproveite para registrar belas fotos!

Placa indicando a distância percorrida
Placa indicando a distância percorrida

parque_nacional_itacolomi_ouro_preto (18)

parque_nacional_itacolomi_ouro_preto (6)

parque_nacional_itacolomi_ouro_preto (7)

parque_nacional_itacolomi_ouro_preto (8)

Placa indicando a distância percorrida
Placa indicando a distância percorrida

Após percorrer os 7km, você estará ao lado da enorme pedra, o Pico do Itacolomi.

Pico do Itacolomi
Pico do Itacolomi

Bem ao lado dela há um mirante natural que dá uma baita vista para o parque.

parque_nacional_itacolomi_ouro_preto (11)
Mirante natural

parque_nacional_itacolomi_ouro_preto (10)

Mirante 360

O passeio não termina ao chegar ao lado do Pico do Itacolomi: O meu guia Cris falou que caminhando por mais uns 200 metros eu poderia chegar no “Mirante 360” que, como o nome diz, dá uma visão 360º do Parque do Itacolomi.

Pelo que pesquisei, nem todos os guias levam a esse mirante, fato que lamento pois foi a melhor vista de todos os lugares que passei. Não sei qual o motivo de alguns guias não irem até este mirante, mas não pegue o caminho de volta sem subir até lá, vale muito a pena!

Vista do Mirante 360
Vista do Mirante 360
Vista do Mirante 360
Vista do Mirante 360
Vista do Mirante 360
Vista do Mirante 360

Dicas importantes

_Leve garrafa de água.
_Leve protetor solar.
_Se possível, leve algo para comer e não se desidratar. Frutas, sanduíches ou barra de cereal são leves e saudáveis.
_Use um calçado confortável.
_Não jogue lixo no parque.

Algumas trilhas são bem íngrimes e o tênis Black Free foi fundamental!
Algumas trilhas são bem íngrimes e o tênis Black Free foi fundamental!

Museu do Chá

Outra grande atração do Parque do Itacolomi é o Museu do Chá que fica na Sede Administrativa do Parque. O local era a Fazenda São José do Manso e funcionava como uma fábrica de chá da Índia, Camelia Sinensis, que mais tarde recebeu o nome de Edelweiss, em homenagem a esposa do proprietário.

Grande parte do maquinário alemão utilizada na época pode ser conhecido pelos visitantes, além de vídeos sobre a história, cultivo e produção do chá na época.

Você pode agendar a sua visita ao parque pelo telefone (31) 3551-6193 ou pelo e-mail peitacolomi@meioambiente.mg.gov.br

Viagem realizada em outubro de 2013

+ Ouro Preto e arredores no Blog Meu Destino

Pontos Turísticos de Ouro Preto
Restaurante Acaso 85
Pico do Itacolomi
Mariana
Praça Gomes Freire
Centro Histórico de Mariana
Minas de Ouro da Passagem

André Morato
Nasci em Divinópolis, interior de Minas Gerais, onde moro atualmente. Sou solteiro, colunista, blogueiro, viajante, designer gráfico, agente de turismo... (Oferecimento: Bombril. 1001 utilidades!). Apaixonado por viagens e por fotografia. Viajei para vários lugares no Brasil e no mundo mas confesso, tem muita coisa que ainda quero conhecer. Criador e editor deste blog. Saiba mais...

6 COMENTÁRIOS

  1. Fiz essa trilha em 1977,levei meu filho William que tinha apenas 4 anos,fomos um grupo maravilhoso ,que por incrível que pareca éramos 19 pessoas,e eu e meu filho éramos os únicos brasileiros.Acampamos lá,e pernoitamos,foi o único lugar que vi vagalumes com luzes amarelas.Sensacional!!!

Comente!