Conheça a cidade de Bruges e seus lindos canais, Bélgica

A pequena cidade belga possui belos canais e alguns atrativos e vale a pena visitá-la

Bruges é mais uma cidade medieval da Bélgica (já falamos de Gante, também na Bélgica), na região de Flandres. A cidade, conhecida como “Veneza do Norte” por causa dos vários canais que possui, fica entre Bruxellas e Amsterdã e próxima à cidade de Gante.

Praça Markt
Praça Markt

História de Bruges

“Em 27 de julho de 1128, Bruges foi elevada a cidade e construiu muralhas e canais. Desde cerca de 1050, um gradual avanço do lodo em direção da cidade, provocou a obstrução dos acessos diretos com o mar, mas uma violenta tempestade em 1134 restabeleceu-os através da criação de um canal natural (Zwin).

No início de 1500, o canal Zwin, que fora responsável pela prosperidade da cidade, começou a ficar obstruído por lodo. Bruges foi rapidamente ultrapassada por Antuérpia como o centro económico dos Países-Baixos. Durante a década de 1650, a cidade foi a base para a estadia de Carlos II de Inglaterra e a sua corte no seu exílio. A infraestrutura marítima foi modernizada e foram construídas novas ligações ao mar, mas sem um grande sucesso.

Na segunda metade do século XIX, Bruges tornou-se num dos primeiros destinos turísticos, atraindo turistas britânicos e franceses. O porto de Zeebrugge foi construído em 1907 e utilizado pelas tropas alemãs no decorrer da I Guerra Mundial para atracar os seus submarinos. Nas décadas de 1970 e 1980, foi alargado e tornou-se um dos mais importantes e modernos portos da Europa. O turismo internacional cresceu exponencialmente desde então e todos estes esforços resultaram na designação de Bruges como Capital Européia da cultura em 2002.”

Retirado do Wikipedia

Como chegar

Para chegar até Bruges, a opção mais em conta é através dos trens, que partem de Bruxellas. Existem ainda as agências de viagem, que realizam os roteiros por Paris e Bruxellas, passando por Bruges e seguindo para Amsterdã.

O que fazer em Bruges

Bruges possui inúmeros canais e a grande maioria está na área central da cidade. A melhor maneira de conhecê-los é através dos passeios de barco mas, eu não tive esta oportunidade pois visitei a cidade no inverno e os canais estavam congelados. Também na área central, estão todas as outras atrações de Bruges e dá pra ver e fazer tudo caminhando pela cidade.

Canal em Bruges
Canal em Bruges
Canal em Bruges
Canal em Bruges
Canal em Bruges
Canal em Bruges

No ano 2000, o Centro Histórico de Bruges foi tombado pela UNESCO como Patrimônio Mundial.

A Basílica do Sangue Sagrado e a Praça Markt

A principal atração turística da cidade é a Basílica do Sangue Sagrado. Construída no século XII, esta possui duas capelas em dois pisos. Segundo a tradição, nesta igreja há um frasco com sangue de Jesus, preservado por José de Arimatéia após a lavagem do corpo sem vida de Jesus. Para ver o frasco é cobrado uma taxa de 2 euros.

Basílica do Sangue Sagrado. Fonte: Wikipédia
Basílica do Sangue Sagrado. Fonte: Wikipédia
Frasco com o Sangue Sagrado. Fonte: Wikipédia
Frasco com o Sangue Sagrado. Fonte: Wikipédia

Saindo da Basílica, parti rumo a Praça Buro, onde se localiza a Câmara Municipal. Conheci também a Praça Markt (ou Praça do Mercado), onde havia uma pista de patinação no gelo. Nesta praça, há uma torre octogonal de nome Belfort, que guarda a carta constitucional da época medieval. Também nesta praça estão o Campanário de Brugges e o Palácio Provincial.

Campanário de Brugges
Campanário de Brugges
Praça Markt com o Palácio Provincial e Prédio dos Correios ao fundo
Praça Markt com o Palácio Provincial e o Prédio dos Correios ao fundo
Pista de patinação no gelo na Praça Markt
Pista de patinação no gelo na Praça Markt
Praça Markt
Praça Markt

Onde comer

Para comer, o melhor local é na Praça do Mercado (Markt) que possui em sua volta bons restaurante e redes de fast-food. Como eu estava com muuuuita fome e pouco tempo, resolvi comer no Subway, que estava vazio.

Tomando uma dose pra esquentar!
Tomando uma dose pra esquentar!

Hospedagem

Quanto à hospedagem, fiquei no “Apollo Arthotel Bruges”. O hotel é excelente, porém fica a 3km do Centro Histórico de Bruges.

Eu prezo muito por localização na hora de escolher o hotel, mas não me importei muito neste caso pois li que à noite não há nada no centro de Bruges e o custo benefício hotel/conforto/localização estava compensando.

Os quartos são bem espaçosos e muito confortáveis. Ao redor do hotel há um parque por onde você pode passear. À noite, o restaurante do hotel “Ter Poele” reúne vários hóspedes e serve vários pratos e um chopp bem gelado. Atrás do hotel há um ponto de ônibus que leva ao centro.

Em frente ao parque em volta do Apollo Arthotel Bruges
Em frente ao parque do Apollo Arthotel Bruges
Tomando um chopp no restaurante do hotel
Tomando um chopp no restaurante do hotel.
Acomodação do Apollo Arthotel Bruges
Acomodação do Apollo Arthotel Bruges

Se você estiver com o roteiro bastante apertado, você poderá conhecer Gante e Bruges em um mesmo dia para ganhar tempo. No meu caso eu pernoitei em Bruges para não ficar muito cansativo e foi um baita descanso. O hotel é excelente para quem quer descansar.

Para mais informações sobre a cidade você poderá ler o tópico do Ducs Amsterdam (clicando aqui) que está super completo. Para mais fotos dos belíssimos canais de Bruges clique aqui.

Viagem realizada em dezembro de 2010

Nos arredores de Bruges

Bruxelas/BEL - Um passeio pela linda cidade de Bruxelas
Gante/BEL - A cidade medieval de Gante
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

André Morato
Nasci em Divinópolis, interior de Minas Gerais, onde moro atualmente. Sou solteiro, colunista, blogueiro, viajante, designer gráfico, agente de turismo... (Oferecimento: Bombril. 1001 utilidades!). Apaixonado por viagens e por fotografia. Viajei para vários lugares no Brasil e no mundo mas confesso, tem muita coisa que ainda quero conhecer. Criador e editor deste blog. Saiba mais...

4 COMENTÁRIOS

  1. Brugge é fantástico. Toda uma vida citadina muito própria, repleta de história em termos arquitectónicos. O castelo é maravilhoso e bem conservado, as esplanadas repletas de turistas a apreciar o Sol, apesar do frio que se possa sentir, dependendo da altura do ano que visitamos a cidade. Boa viagem seguramente.

  2. Legal seu blog. Eu estava pensando em fazer Luxemburgo, Belgica e Holanda, mas pesquisando, parece que os preços por aí são muito elevados. Aí comecei a pensar em fazer Hungria, Polônia e algum outro do leste europeu, pois sairia mais barato.

    A pergunta então é: os preços da Bélgica e Holanda são realmente tão astronômicos, ou é mais mito? rsrs.

    Abraços e parabéns pelo blog.

    • Olá Uziel!
      Eu achei os preços de Holanda e Bélgica normais para cidades turísticas, não achei os preços elevados. Mas deve-se levar em conta que eu fui no Inverno, na baixa temporada.

      • É, verdade. Imaginei isso também. Tentarei ir na primavera, onde não estará tão caro como no verão e nem tão frio quanto a primavera. rsrs. Abraço.

Comente!