Cruzeiro Marítimo – Um sonho possível para todos

Um dos atrativos que vem a cada dia ganhando mais espaço no turismo são os cruzeiros marítimos

Foto: Frivolidades

Muitas pessoas quando ouvem falar sobre fazer um Cruzeiro Marítimo, entendem que, somente pessoas de um considerado poder aquisitivo podem realizar esse sonho, o que não é verdade. Hoje em dia são inúmeras as companias que oferecem esse serviço e existe um leque de opções de viagens nesse sentido, como a quantidade de dias, o itinerário a percorrer e até mesmo a hospedagem.

Cruzeiro Marítimo

Cruzeiro Marítimo
Jantar em um dos restaurantes

Desde que viajei em meu primeiro cruzeiro, novembro de 2010, fiquei encantada por esse tipo de lazer e por esse motivo pretendo resumir a vocês tudo que me fez realizar novamente por mais 6 vezes em apenas 2 anos, viagens em Cruzeiros Marítimos.

Apresentação da tripulação
Apresentação da tripulação do cruzeiro marítimo

Agência

Recomendo uma agência que deixe bem claro a você as opções de Cias de Navios, que esclareçam sobre o tamanho, estrutura e serviço de bordo, pois, a princípio interessamos sobre valores, mas na prática, talvez seja melhor adicionar um custo e usufruir com mais sofisticação. A exemplo, existem preços baixos de Cruzeiros, mas são em navios menores e ainda em cabines internas, e isso, para quem não está acostumado influi no lazer.

Por experiência própria, cabines internas podem trazer fadiga e navios menos balançam um pouco mais. Portanto, existem agências de viagens que não expõem essa diferença, ou quaisquer outros contratempos advindos do preço baixo, somente querem vender o pacote.

cruzeiros_maritimos (4)

Traslados

Os navios fazem paradas nas cidades dos roteiros e oferecem serviço de translado, porém, tudo é cobrado em dólar em seu cartão de hóspede e para quem não deseja surpresa ao fechar a conta, fica a dica: nas paradas sempre existem empresas qualificadas para realizar um translado particular, porém, sempre é bom conhecer outros passageiros para que juntos possam locar um serviço de translado em conjunto e conhecer melhor a cidade que atracaram, é mais seguro sair em um número maior de pessoas e ainda sairá mais leve ao seu bolso.

Cabines do Cruzeiro Marítimo

Existem navios com cabines internas (sem janelas e sem varanda), cabines externas (somente janelas) e ainda cabines externa com varanda, já utilizei de todas elas e indico, mesmo que saia por um preço razoavelmente maior, as cabines externas com varanda, pois, num momento de indisposição, ou deseja uma noite romântica à luz da lua, é essa a cabine que melhor lhe atenderá.

cruzeiros_maritimos (6)

cruzeiros_maritimos (8)

Entretenimento

Os cruzeiros oferecem inúmeras atrações, restaurante de altíssimo nível, com pratos italianos, franceses, um menu impecável, onde as vezes temos até que pedir conselho sobre o que comer ou de que se tratava aquele prato rs. Os bares todos temáticos, cassinos luxuosos, teatro com apresentações capazes de fazer, nós passageiros, chorar e rir ao mesmo tempo tamanha a grandiosidade dos espetáculos.

cruzeiros_maritimos (9)

cruzeiros_maritimos (7)

Organização do Cruzeiro Marítimo

Os Navios de Cruzeiros, possuem serviços diferenciados à disposição dos pais que querem atendimento especiais aos filhos menores, treinamento para os passageiros em caso de emergência, a organização para turnos de jantares e turnos no teatro, saída e retorno ao navio, compras, cadastro de hóspedes, tudo em um cadastro feito através de um cartão magnético de identificação do passageiro.

 cruzeiros_maritimos (1)

Roteiro

São oferecidos hoje em dia roteiros pela América do Sul e ainda Europa. Falando dos cruzeiros que conheço, portando, América do Sul, no caso dos mini-cruzeiros, como os portos de saída, em sua maioria é o Porto de Santos e o Porto do Rio de Janeiro, estes fazem: lha Bela, Búzios, Ubatuba, enfim, nos cruzeiros mais longos, pode-se conhecer o litoral do Nordeste como: Salvador, Ilhéus, Maceió e ainda cruzeiros por alguns paises do Mercosul, com paradas em Punta del Leste, Montevidéu e Buenos Aires.

Área de Lazer
Área de Lazer
Área de Lazer
Área de Lazer

Interação

Além dos passageiros virem de vários estados, a interação também junto à tripulação que, em sua grande maioria é composta de estrangeiros, como italianos, indonésios, chineses, enfim, é mágica. Segundo conversa informal com uma funcionária brasileira, as cias têm que admitir 20% de brasileiros em suas temporadas. E é mágico interagir com pessoas de outros países, para quem não é bilíngüe, tentar entender o idioma que soa estranho, conhecer um pouco de seus costumes é um rico aprendizado em nossas vidas.

Tripulação estrangeira
Tripulação estrangeira

Conclusão sobre os Cruzeiros Marítimos

Realizar uma viagem a bordo de um Cruzeiro Marítimo, é hoje, para mim, uma das melhores opções de lazer junto da família e amigos. Não há indicação única para crianças, idosos, jovens é extensivo a qualquer um que deseja conhecer um pedacinho a mais de seu Brasil, com a diferença de que, o seu modesto transporte é um Transatlântico!

Post Colaborativo: Por Kátia Faria (Texto e Fotos)

Viagem realizada em março de 2012

Leia também

10 dicas para tirar boas fotos em viagens
Salvador, capital cultural do país
O que fazer em Puerto Iguazú

André Morato
Nasci em Divinópolis, interior de Minas Gerais, onde moro atualmente. Sou solteiro, colunista, blogueiro, viajante, designer gráfico, agente de turismo... (Oferecimento: Bombril. 1001 utilidades!). Apaixonado por viagens e por fotografia. Viajei para vários lugares no Brasil e no mundo mas confesso, tem muita coisa que ainda quero conhecer. Criador e editor deste blog. Saiba mais...

1 COMENTÁRIO

  1. Recentemente fiz um cruzeiro de 2 semanas pelo Oceano Indico com a Costa cruzeiros.
    Não foi o meu primeiro cruzeiro. Já havia estado em meia dúzia de cruzeiros anteriormente, mas todos em outras companhias.
    No dia do embarque, achei estranho a falta de “dispenser” com álcool gel para sanitização das mãos dos passageiros embarcando. Na mesma noite, ao me dirigir ao restaurante, havia um “dispenser” meio escondido na entrada, ao qual me dirigi para sanitizar as mãos e constatei que o mesmo estava defeituoso e não funcionava. Não havia ninguém do navio a orientar os passageiros a utilizar o “dispenser” e todas as pessoas entravam normalmente no restaurante.
    Em todos os cruzeiros anteriores, nos primeiros dias havia sempre alguém nas entradas dos restaurantes solicitando que as pessoas sanitizassem suas mãos. O mesmo ocorria em todos os portos onde se podia desembarcar, ou seja, no reembarque, havia um “dispenser” e alguém da tripulação orientado a sanitização.
    Este procedimento, que deveria ser uma pratica comum tanto em casa ( lavar as mãos com agua e sabão antes das refeições ) como em restaurantes de qualquer cidade, ´torna-se muito mais importante num lugar “fechado” como um navio, onde a possibilidade de um surto de contaminação é muito maior.
    No dia seguinte, solicitei uma conversa com o responavel da tripulação para externar minha preocupação e solicitar providencias. Afinal não gostaria de eventualmente perder dias das minhas férias com alguma infecção gastrointestinal, alem de não conseguir visitar as atrações nos portos de atraque.
    Após varias horas, fui recebido pelo diretor de “alimentos e bebidas” e pelo gerente do restaurante.Expus os fatos e manifestei minhas preocupações.Para minha surpresa, me disseram que surtos infecciosos não eram comuns em navios, não havendo portanto necessidade de prevenção, como também disseram que o procedimento em todos os cruzeiros que participei deveria ter sido causado por episódios de surtos infecciosos.
    NEM PERCEBERAM A TREMENDA CONTRADIÇÃO EM DIZER QUE SURTOS EM NAVIOS SÃO RAROS APESAR DE ACREDITAREM QUE EM 100% DOS CRUZEIROS ANTERIORES QUE PARTICIPEI, O PROCEDIMENTO DE SANITIZAÇÂO SERIA DECORRENCIA DE SURTOS.
    Disseram também que não poderiam obrigar os passageiros a sanitizar as mãos.Aparentemente, confundiram “orientar” os passageiros com “obrigar” os passageiros, sendo que como comentei acima, nem orientação era dada, embora na minha modesta opinião, o risco pudesse ser grave, como não é incomum ver noticias em jornais.
    Em resumo, NÃO FOI TOMADA NENHUMA PROVIDENCIA NOS DEMAIS 14 DIAS DE VIAGEM
    Logo no inicio da viagem, um dia me dirigi a um restaurante próximo à piscina já preparado para colocar minha camisa antes de entrar, quando reparei pelo vidro outras duas pessoas sem camisa lá dentro. Imaginei que ao contrario de outras empresas, na Costa não haveria necessidade de utilização de camisa no restaurante, talvez por ser próximo à piscina. Assim que entrei, um membro da tripulação solicitou que eu vestisse a camisa pois naquele ambiente era necessário. Obedeci mas perguntei por que haviam 2 pessoas desobedecendo a norma. A resposta foi de que ele apenas podia solicitar mas não exigir. ORA, ENTENDI QUE A BORDO DAQUELE NAVIO NORMAS SÓ DEVERIAM SER CUMPRIDAS SE OS PASSAGEIROS QUISESSEM POIS NÃO PODERIAM SER OBRIGADOS. PAR QUE A NORMA, ENTÃO?
    O mesmo valia para fumar em locais proibidos dentro do navio, onde varias vezes observei fumantes nesses locais, bem como uma vez no “tender” da própria Costa ( barquinho utilizado para desembarque num porto onde o navio não atraca, mas fica ao largo ) com a tripulação apenas observando.
    Todos os navios dos cruzeiros anteriores possuiam de 12 a 16 restaurantes, sendo a maioria grátis ( já incluído no preço do cruzeiro ) e 2 ou 3 pagos ( por um ambiente, serviço e alimentação diferenciados ).No meu navio Costa, era exatamente o contrario, ou seja, apenas 2 restaurantes grátis ( sendo 1 self service ) e todos os demais pagos.NO ÚNICO RESTAURANTE GRATIS, COM SERVIÇO DO NAVIO, ATÉ A ÁGUA ERA PAGA!O CARDAPIO MUITO BASICO, TANTO NOS PRATOS QUANTO NAS SOBREMESAS. A REPOSIÇÃO LENTA E NEM SEMPRE GARANTIDA.

    O navio havia sido reformado em 2011. As duas piscinas eram demasiadamente pequenas, não comportando o numero de passageiros.
    Quase não haviam áreas externas para caminhadas, por comparação com outras embarcações do mesmo porte que utilizei anteriormente.
    Na academia de ginástica, não havia instrutores, nem mesmo seguranças para caso de acidentes.
    O NAVIO NÃO POSSUIA TEATRO, MAS APENAS UM SALÃO PARA TALVEZ 300 PESSOAS, COM MUITO POUCOS RECURSOS TECNICOS, NUM NAVIO PARA 1800 PASSAGEIROS. O NIVEL DAS ATRAÇÕES NADA MAIS QUE MEDIANOS E REPETITIVOS.
    Depois de tudo que relatei acima, voces devem estar imaginando que o preço do cruzeiro deveria ter sido muito barato. LEDO ENGANO! O PREÇO POR NOITE ERA EQUIVALENTE AO COBRADO POR OUTRAS COMPANHIAS EM NAVIOS MELHORES, COM SERVIÇO E INSTALAÇÕES MELHORES!
    Cheguei à conclusão que COSTA CRUZEIROS NUNCA MAIS!
    FUI ENGANADO, PAGUEI O PREÇO DE UMA LEBRE E ME ENTREGARAM UM GATO!

Comente!